Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Sobre as dores de amor e a falta de sentido que tudo isso faz

Segunda-feira, 20.04.15

Da serie tudo aquilo que o amor não devia ser mas

Anda por aí demasiada gente a sofrer de amor. O problema é mesmo esse, gente que sofre, de ou por amor. Se pararmos um bocadinho para usar o cérebro perceberemos que o amor nada tem ou deveria ter a ver com dor, com qualquer espécie de sofrimento, que é precisamente o oposto de tudo isso. O amor tem como objectivo último acabar com as dores da alma e do corpo, o amor é um bálsamo e não um veneno. Temos que começar a amar um bocadinho menos com o coração e mais com a cabeça, digo eu. Talvez 1% de cabeça para aplacar as loucas chamas do vital órgão possa ser suficiente para não nos imolarmos todos num amor descerebrado e excessivamente visceral. Talvez a nossa razão devesse ter mais emoção e esta pudesse pedir um bocadinho emprestado à razão. Ou talvez o mundo seja habitado por uma estranha seita de masoquistas apaixonados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 17:13

Tratado simplista, realista e boçal sobre as mais profundas aspirações do homem

Domingo, 19.04.15

Tratado simplista, realista e boçal sobre as mais 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 08:43

Para memória futura, little Francis

Sexta-feira, 17.04.15

z_Francis.jpg

Tirando raros e preocupantes exemplos, creio que não há pais que não considerem o seu filho o melhor filho do mundo, a criança mais engraçada e mais esperta, o suprassumo da doce e irrepetível inocência infantil. Eu sou um desses mas ainda mais convicto, pois estou plena e inequivocamente convencido que este puto está aí num qualquer top 10 mundial. 3 anos de ti, Francisquinho, obrigado por tudo o que me deste e ensinaste, pelas horas de sono que me tiraste que só me faziam desperdiçar a vida, pelos sustos com que me testaste a máquina cardíaca, pela louca magia com que polvilhaste os meus dias. Continua assim, melhorando apenas o mau feitio ao acordar, o instinto em agredir os restantes membros do agregado familiar e, já agora, evitando saltar de tudo o que se assemelhe a uma cadeira, sofá, mesa e afins. Força puto!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 12:07

O Mustang que só sabia viver na pradaria

Quinta-feira, 16.04.15

 z_q_2.jpg

Não sou tipo para me prender a lamentos com o que já foi e jamais voltará a ser. Isto é assim na vida e, quase sempre, também na paixão clubística. Contudo, como a humanidade bem sabe e diariamente vai comprovando, quando entramos pelos pantanosos terrenos da paixão, a porca tende a torcer o rabo. Não é sem alguma dor neste coração empedernido que relembro os tempos em que jurava a pés juntos que o nosso Ricardo, o ciganito Quaresma, o nosso querido Mustang (assim apelidado pelo grande Laszlo Boloni) seria indubitavelmente cravado na tábua das inesquecíveis lendas do futebol, muito à frente da desengonçada girafa que dava pelo nome de Cristiano Ronaldo. Os tempos foram passando, o génio de Quaresma foi sendo traído por um feitio demasiado temperamental e por uma vontade de vencer que não acompanhou o seu talento, e a desajeitada girafa lá subiu ao altar que parecia destinado ao jovem ciganito. Ontem Quaresma deu-nos um pouco do que deveria ter sido. E porque não o foi? O mister Boloni, em jeito de certeira profecia, escreveu-o, em 2002, no seu livro "O Bloco Notas de Laszlo Boloni”.

 

«Vale a pena fazer aqui uma reflexão mais demorada sobre Quaresma. Até porque foi exactamente contra ao Standard Liège que este jovem me convenceu em absoluto sobre as suas potencialidades. Ele fez um grande jogo. Após este encontro comparei-o, nas minhas anotações, a um "Mustang" (cavalo selvagem) difícil de dominar. Anotei esse comentário com um grande ponto de interrogação. Perguntava-me, "será que algum dia ele conseguirá aceitar determinadas regras que o podem tornar num bom cavalo de corrida, com um bom galope, ou será que nunca vai aceitar essas regras e permanecerá um "Mustang", um cavalo selvagem, que corre livremente, mas sem rumo?".

«(...) Tivemos várias conversas ao longo da época. Percebi que ele nunca tinha sentido muito respeito, por nada nem por ninguém, e isso dificultava a sua integração na equipa. Expliquei-lhe que quando integramos um grupo, há que saber respeitar determinadas regras. Mas nunca quis responsabilizá-lo demasiado. (...) Só queria que este "cavalo" entrasse na boxe, integrasse o resto do grupo e que se sentisse tão bem no estábulo como se sentia na pradaria.» 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 11:22

A sorte foi que a menina Legwinsky estava ocupada

Quarta-feira, 15.04.15

obama beer.jpg

“She was the third beer. Not the first one, which the throat receives with almost tearful gratitude; nor the second, that confirms and extends the pleasure of the first. But the third, the one you drink because it’s there, because it can’t hurt, and because what difference does it make?”

 

Por Toni Morrison, em “Song of Solomon”

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 18:20

Reclinai-vos e dançai sem sobressalto

Terça-feira, 14.04.15

z_by Leonard Freed_Night Club, Frankfurt, West Ger

Fotografia por Leonard Freed, clube nocturno em Frankfurt, 1965

 

Tenho um problema com o Carlos Vaz Marques. Grave? Gravíssimo. O homem é doente pelo Benfica e a doença distorce-lhe a mente e o espírito. Sem nos conhecermos de parte alguma, já nos insultámos mutuamente no twitter devido às suas aleivosias vermelhuscas. Só para chatear, o homem despeja o texto que se segue pelo facebook e eu sorrio candidamente. Mais um que não tem coragem de se assumir - o homem só pode ser leão.

 

“Há coisas importantes que me aborrecem. Há assuntos de merda que me interessam. Gosto da ideia de que quase tudo é linguagem. Wittgenstein, esse grande feiticeiro. Sento-me à mesa de uma esplanada e ouço fragmentos de conversas como uma velha coscuvilheira. Não faço nada delas mas percebo que há vidas para além do meu solipsismo. Finto permanentemente a obrigação profissional de dar atenção ao mundo. Escuto canções como se tivessem sido escritas para mim. Tudo está repleto de sinais obscuros. Todos conspirando para sublinhar a irrelevância daquilo que me ocupa. Todas as vidas são manifestamente inúteis. Há mais de seis mil milhões delas à face da terra. No dia em que alguma coisa fizer sentido o mundo desmorona-se. Uma pessoa amiga perguntou-me há dias como posso, sem deus, evitar os meus piores instintos. Não tenho resposta. Quero apenas a aceitação daqueles a quem entrego incompreensivelmente o meu afecto. Trato os instintos como animais domésticos. Deixo-os andar à solta pela casa mas obrigo-os a urinar no sítio certo. Ó, vós, crentes, tranquilos administradores dos vossos sentimentos, domadores do pássaro azul, domesticadores da inquietação, reclinai-vos e dançai sem sobressalto. Nós, os que já morremos repetidamente, vos saudamos.”

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 23:36

Naturalmente imperdível, num blog com fundo negro (não, não é um post it)

Segunda-feira, 13.04.15

fundo preto.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 17:51

Estranhos desejos

Domingo, 12.04.15

 zfugir.jpg

Fugiu para bem longe, para junto do mar, sempre, mas para uma praia desconhecida e rochosa onde ninguém conhecido a encontraria, ou nenhum desconhecido a quereria conhecer. Toda uma vida a fugir da sua beleza, da sensação de que a sua carne tenra, os seus seios burilados por mãos divinas, os seus cabelos, o seu sorriso estupidamente atraente não permitiriam ver para além disso. Namorados loucos por ela, amantes a seus pés, mil homens recusados, outros mil sem o privilégio de um não, apenas o silêncio de quem já não aguenta tanto desejo, tanta adoração, tanto filho da puta que a via como um corpo, um mero objecto de desejo. A menina que nunca deixou de ser nunca mais surgira aos olhos dos outros, a mulher doce, inteligente e sensível desaparecera por entre duas nádegas perfeitas que apagavam da face da terra e aos olhos de todos tudo o resto que ela era. Quem lhe dera ter nascido feia, gorda e frígida. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:57

Mais cego é aquele que não quer ver

Sábado, 11.04.15

 1.jpg

John Bramblitt será o expoente máximo do inspirador movimento que muito boa gente tem apelidado de “fuga à zona de conforto”. Depois de ter ficado cego já na idade adulta decidiu começar a pintar. Aprendeu a distinguir a cor das tintas sentindo as suas texturas, a aplicar a tinta delineando uma imagem e a usar os dedos para conduzir as pinceladas. Os quadros inspiram-se nas suas experiências da época em que ainda detinha o sentido da visão, mas também em pessoas para as quais bastava sentir os contornos da face com os seus dedos. Se isto não é inspirador não sei o que poderá ser. Fiquem com a arte deste genial pintor.

 

p.s. – O texto foi toscamente adaptado e traduzido daqui: http://www.amusingplanet.com/2015/03/john-bramblitt-blind-painter.html

 

3.jpg

4.jpg

5.jpg

6.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 12:58

Humor negro em dose dupla no rescaldo das epifanias pascais

Sexta-feira, 10.04.15

zhumornegroadobrar.jpg 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 15:11





mais sobre mim

foto do autor


subscrever feeds



Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters



links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

pesquisar

Pesquisar no Blog