Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Parar é preciso

Quarta-feira, 30.09.09

 

É preciso parar. Cada minuto que passa, cada hora que se esfuma, cada dia que se perde no turbilhão da inconsciência que é viver sem parar, cada pedacinho dessa existência perde-se irremediavelmente se não pararmos. Para contemplar, para escutar o que habitualmente não escutamos (chilreares, risos cúmplices, roçagares de saias, palavras doces perdidas em frases confusas). Para pensar no que realmente queremos e andamos aqui a fazer. Para dizer o que nunca temos tempo para dizer. Para dizer que te amo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 23:14

Pernas para que te quero

Terça-feira, 29.09.09

 

Não podem provocar tédio. Magras, gordas, brancas como a neve, negras como o ébano, peludas, macias, tortas, perfeitas, epá, não me lixem, pernas são pernas, eterno objecto da nossa luxúria delirante. Diria que apenas a perfeição de um par de pernas único pode provocar o tédio. Porque nada ter para criticar esmorece as paixões e arrefece o imaginário erótico. Ah, e não se esqueçam, estamos em Portugal. Não ter por que criticar um par de pernas é ainda pior do que asfixiar democraticamente um pacato cidadão.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:19

A estrada (pérola 1) - O novo amante e o vento que leva as palavras

Segunda-feira, 28.09.09

"Dantes falávamos sobre a morte, disse. Agora já não. Porquê?

Não sei.

É porque ela está aqui, junto de nós. Já não há nada para dizer.

Eu nunca te deixaria.

Não me interessa. Isso é irrelevante. Podes achar que eu sou uma cabra infiel, se preferires. Arranjei um novo amante, que me dá aquilo que tu não me consegues dar.

A morte não é um amante.

Ah, isso é que é."

 

 

A escolha limite para troca de um velho amor é a escolha do vazio, da fuga à vida. Em "A estrada" a razão de opção tão drástica está obviamente relacionada com a catástrofe que se exige que as personagens enfrentem. Contudo, não raras vezes, vidas mais serenas defrontam-se com dilemas menores e escolhem o mesmo caminho, a morte, o atalho sem retorno para o fim do sofrimento. É também esta dualidade e esta atitude nas escolhas que torna a obra de McCarthy tão grandiosa e tão próxima da realidade mundana. 

 

Grandes desafios exigem um recrudescer de forças, despertam no homem energias que se desconheciam. Quem verga perante os grandes desafios fracassará igualmente em face das pequenas agruras da vida. É na atitude perante os obstáculos que se revela a pequenez ou a grandeza das almas. Tudo o resto são palavras vãs.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 20:50

A rosa continua sexy

Domingo, 27.09.09

 

Num blog em que um dos temas recorrentes é o futebol, convém respeitar uma generosa dose de fair-play. Pelo que se tem ouvido no rescaldo eleitoral, esse é um comportamento ausente da análise de alguns partidos e comentadores. O PS ganha com boa folga mas há quem diga que não havendo maioria absoluta se está em presença de uma derrota. Honestidade e capacidade de aceitar a realidade sem subterfúgios seriam grandes aquisições para o plantel de muitos partidos políticos e meios de comunicação social. Boa sorte, Senhor Engenheiro, dê o seu melhor pelo país.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 20:33

Das dificuldades de escolha

Domingo, 27.09.09

 

Há uns meses atrás uma qualquer revista versada nas mais importantes questões estratégicas mundiais, elegeu Jennifer Aniston como a mulher mais sexy de Hollywood. Há, de facto, escolhas mais intrincadas que outras. Contudo, nunca virar a cara concidadãos, ide em conquista das mesas de voto, erguei a caneta Bic em consciência!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 14:05

FC Porto 1 - Sporting CP 0

Sábado, 26.09.09

 

 

Para ver se me passa esta carrada de nervos, vou começar esta crónica de uma forma perfeitamente inédita no comentário futebolístico lusitano. Assistiu-se hoje nas Antas a um excelente jogo de futebol. Oportunidades de golo para ambas as equipas, alguns excelentes momentos de futebol, grandes defesas, sangue, expulsões, polémica no calor da luta.

 

Descendo à terra, abordar as duas razões porque o Sporting nunca podia ganhar este jogo, pelo simples facto do Paulo ser teimoso e ingénuo que nem uma mula. Teimoso porque o Polga deu o primeiro golo, provocou um penalty de forma estúpida, fazendo ainda com que o Sporting ficasse com menos 1 jogador (viram a exibição personalizada e heróica do Tonel? Viste Paulo?). Ingénuo porque não pode entrar em campo com um lateral sem qualquer rotina de jogo, para não falar na falta de qualidade que Grimi tem alardeado pelos relvados nacionais. Hulk chamou-lhe um figo (bastou nos primeiros 15 minutos), Jesualdo foi genial na simplicidade com que aproveitou a abébia do Paulo.

 

 

Como pontos positivos destaco dois meninos que são já dois homens, duas certezas na equipa leonina. Rui Patrício, que além da defesa perfeita no penalty (bem marcado, diga-se), executou algumas defesas dificílimas. Daniel Carriço que só sabe jogar de cabeça levantada, ao estilo de um imperador que não verga por nada. Abel esteve melhor, VuK, Liedson e Postiga nunda desistiram. Matias é muito bom com a bola nos pés, mas parece que a tem tempo de menos. Ou porque o futebol do Sporting não lida bem com um nº 10, ou porque Matias precisa de ganhar sentido táctico e capacidade de desmarcação.

 

 

Quanto ao Porto, os alicerces são a segurança defensiva, com destaque para a garra de Bruno Alves e a imensa qualidade de Álvaro Pereira (se Cissoko rendeu 15 milhões este uruguaio vale pelo menos o dobro). Depois, o meio campo anda à procura de patrão para além da omnipresença defensiva de Fernando, percebendo-se já a muita classe que passeia nos pés de Belluschi. Hulk é Hulk, dificílimo de parar, Falcão é ponta de lança da cabeça aos pés. Mariano e Raul Meirelles dois corpos estranhos nesta equipa pelo momento de forma por que passam.

 

 

Como penúltimo ponto as importantíssimas palavras de Paulo Bento. É incompreensível que seja nomeado para este jogo um árbitro com um processo pendente com uma das equipas. Só pode ser provocação ou vontade de influenciar o resultado, não há outra explicação. Pior que isso, o comportamento de anjinho da cúpula directiva do Sporting. Não dizer nada significou aceitar que estávamos a ser gozados e que engolimos sem querer incomodar ninguém. Mais do que uma crítica à vergonhosa actuação do sr. Vítor Pereira neste processo, Paulo Bento deu um grito bem alto para ser ouvido pelos pretensos cavalheiros que ocupam o camarote presidencial de Alvalade. Abram os olhos e deixem-se de punhos de renda, senhores!

 

 

Sobretudo, fica para mim, sportinguista convicto e esperançoso, a atitude e personalidade da equipa depois de ficar reduzida a 10 jogadores. O ano não está perdido, acredito.

 

p.s. - Acabei de ouvir as palavras paternalistas de Jesualdo Ferreira sobre Paulo Bento. Mais valia estar calado, a idade só é posto quando acompanhada do devido comportamento que faça merecer esse posto, esse pedestal de respeito inatacável.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:05

Dia da reflexão em noite de esperança leonina

Sábado, 26.09.09

  

 

 

Esta Fraulein parece reflectir sobre coisas realmente importantes. Nada como seguir-lhe o exemplo, companheiros eleitores.

 

p.s. - Estou estupidamente confiante para daqui a cerca de meia-hora. Acho que é dia de Matishow, mas por mim até pode dar-se o milagre de São Polga e ser ele a meter o golo que interessa. GANHAR CUAREGO!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 18:35

Da reflexão eleitoral e da beleza da língua portuguesa

Sexta-feira, 25.09.09

 

 

De entre todo o lixo que diariamente me entulha o e-mail, mais uma pérola desenterrada dos confins da esterqueira. Bem hajas, mano Costa. Leiam e releiam, para se sentirem orgulhosos desta língua que usamos e da qual abusamos.

 

"Um político que estava em plena campanha chegou a uma pequena cidade, subiu para o palanque e começou o discurso:
- Compatriotas, companheiros, amigos! Encontramo-nos aqui, convocados, reunidos ou juntos para debater, tratar ou discutir um tópico, tema ou assunto, o qual me parece transcendente, importante ou de vida ou morte. O tópico, tema ou assunto que hoje nos convoca, reúne ou junta é a minha postulação, aspiração ou candidatura a Presidente da Câmara deste Município.
 
De repente, uma pessoa do público pergunta:
- Ouça lá, porque é que o senhor utiliza sempre três palavras, para dizer a mesma coisa?

  

 



O candidato respondeu:
- Pois veja, meu senhor: a primeira palavra é para pessoas com nível cultural muito alto, como intelectuais em geral; a segunda é para pessoas com um nível cultural médio, como o senhor e a maioria dos que estão aqui; A terceira palavra é para pessoas que têm um nível cultural muito baixo, pelo chão, digamos, como aquele alcoólico, ali deitado na esquina.
 
De imediato, o alcoólico levanta-se a cambalear e 'atira':
- Senhor postulante, aspirante ou candidato: (hic) o facto, circunstância ou razão pela qual me encontro num estado etílico, alcoolizado ou mamado (hic), não implica, significa, ou quer dizer que o meu nível (hic) cultural seja ínfimo, baixo ou mesmo rasca (hic). E com todo a reverência, estima ou respeito que o senhor me merece (hic)pode ir agrupando, reunindo ou juntando (hic) os seus haveres, coisas ou bagulhos (hic) e encaminhar-se, dirigir-se ou ir direitinho (hic) à leviana da sua progenitora, à mundana da sua mãe biológica ou à puta que o pariu!"

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:26

Da irrealidade da vida real

Quinta-feira, 24.09.09

Esta história do blogue tira-me algum tempo, é verdade. Tento, contudo, que este tempo seja surripiado não à minha vida real, palpável, com cheiro, mas sim a outros hobbies que enterrei. Como por exemplo séries televisivas daquelas que nos colocam o cérebro em baixíssima rotação. Babar no sofá. Pensar no trabalho quando já não estou a trabalhar. Um dia chegará em que novos interesses se levantarão e o blogue será substituído por um nova ocupação lúdico-mental.

 

 

Há quem diga que com a Internet e a televisão se corre o risco de confundir os dois planos. A plataforma da terrena realidade confundida com os celestiais mundos irreais construídos por quem acha que a realidade deixou de ser atractiva. Haverá quem viva essencialmente nessas duas irrealidades paralelas e regresse momentaneamente à vida com cheiro, nem que seja para comer uma bucha ou esvaziar a bexiga. Há de tudo, neste mundo. Como as prioridades dos terráqueos andam, creio que as imagens deste post poderão a breve trecho fazer algum sentido. Para alguns. Vade retrus Satanás.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:26

Da série a arte está em todo o lado - Lego

Quarta-feira, 23.09.09

Felizmente, a originalidade resiste aos milhões de manifestações artísticas estereotipadas que se multiplicam por este mundo fora. Mike Stimpson, farto de se deliciar com fotografias intemporais que marcaram gerações, decidiu dar-lhes vida e devolvê-las à inocência. Nada como voltar aos tempos do lego para que toda uma nova perspectiva nasça. Porque nada é definitivo nem imutável. Porque velhos clássicos podem renascer na mais simples das formas. Tudo isto e muito mais está no excelente site www.thedailybeast.com. Explorem que vale a pena. 

 

 

A famosa imagem captada em 1932 por Charles Ebbet, Lunch Atop a Skyscraper, mostrava 11 homens sentados numa viga no 69º andar do edifício da GE, no Rockefeller Center. Esta fotografia foi um ícone da grande depressão. Nada desajustada dos tempos que correm, portanto.

 

 

A fotografia de 1936 tirada por Robert Cappa, "Death of a loyalist soldier", levantou suspeitas quanto à sua autenticidade. Se há dúvidas quanto à autenticidade deste momento na guerra civil espanhola, já o boneco de lego construído por Mike Stimpson não poderia ser mais autêntico. Ademais, o sorriso de esguelha é bem mais agradável que o esgar de dor, e em vez de um pântano de sofrimento embebido em sangue, Stimpson constrói o cenário com uma toalha e uma almofada. É isto a verdadeira guerra santa.

 

 

A fotografia de 1945 tirada por Joe Rosenthal, "Raising the flag on Iwo Jima" é um dos ícones da história norte americana. Clint Eastwood fez um filme sobre toda essa odisseia da bandeira que se ergue, no qual se esmiuça ao pormenor a veracidade de certos factos. Stimpson quer apenas divertir-se e marimba-se para a realidade. Os 5 soldados passam a 4, as 50 estrelas da bandeira são apenas um pormenor a que não liga. A beleza das coisas não está na sua verdade.

 

 

A fotografia tirada por Eddie Adam em 1969, na qual capta o momento em que o General Nguyen Ngoc Loan executa um prisioneiro Vietcong, arrebatou o prémio Pulitzer desse ano. A expressão arrepiante na face do executado torna esta foto única. Contudo, Simpson optou por trazer o humor negro para a reprodução desta tragédia. Discutível opção, dirão alguns.

 

 

Para terminar, a verdadeira tragédia, pelo menos para os ingleses. A mão de Deus de Diego Maradona que lhes roubou o campeonato do mundo de 1986. Stimpson usou um fio para suspender no ar o boneco Diego, o efeito é o de uma aura estranha que paira na imagem. A mão invisível de Deus?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:28


Pág. 1/3





mais sobre mim

foto do autor


subscrever feeds



Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters


favorito


links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

pesquisar

Pesquisar no Blog