Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



À atenção do senhor Gaspar

Sexta-feira, 30.11.12

 

 

Somos um povo inventado para viver ao ritmo lento de labaredas de calor, sob as chicotadas do doce astro rei, bem juntinho ao mar, com pouca ou nenhuma roupa, ostentando o inquebrantável e brilhante sorriso de quem vive o privilégio de viver para o sol. As vagas de frio e os dias de chuva são parvoeiras que forjaram para nos enclausurar em cubículos domésticos ou profissionais, são incómodos intervalos de tempo que alguma cruel entidade nos impôs enquanto esperamos, perdidos e desenquadrados, que chegue finalmente o sol, a libertadora canícula. Somos feitos de suor, água do mar e sal, muito sal. Tudo o resto é uma inominável violência maquinada por gente que não sabe que a vida só faz sentido se liberta do jugo de roupas apertadas e da artificialidade atroz dos ares condicionados. Somos livres e felizes quando corremos sobre a areia molhada, quando bronzeamos os corpos espojados na mais fina areia do universo. E não nos venham falar de facturas, PIBs, défices e afins, que o bronze ainda não paga imposto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 17:42

Anda Pacheco!

Quinta-feira, 29.11.12

 

 

"Quem não tinha saudades do seu ar de bravata, da sua romba indignação, como um mestre zangado com os discípulos que, refractários, teimam em não seguir os seus justos ensinamentos? Percebe-se nas expressões de J. Pacheco uma ansiedade, uma vontade temerária de nos partir a espinha até que todos, esgotados mas reconhecidos, nos prostremos e lhe reconheçamos uma galilaica sabedoria. Um bem-haja Jaime, um dia certamente o mundo vai-lhe dar razão!"

 

O Ramires, de "O grande salto em frente", celebrou condignamente e com um toque de classe bem ao jeito de um médio criativo de elevado quilate, o regresso do enorme Jaime Pacheco dos confins do oriente. O Jaime tem tudo o que de melhor e pior tem o povo português e por isso faz-nos tanta falta. Olho para a ausência de rumo, de valores e de tomates que assola o meu Sporting e penso que se calhar o mestre Pacheco não era nada mal vindo no exacto momento que os leões vivem. Perdidos por cem, perdidos por mil.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 18:28

Viagem ao centro de nós

Quarta-feira, 28.11.12

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 18:16

Uma questão de números

Terça-feira, 27.11.12

 

 

“Apesar de dizermos que não somos números, quando falamos de nós, é de números que falamos: do que ganhamos, do que compramos, do que pagamos, do que temos. É com números que hoje definimos a nossa identidade, o nosso estatuto, o nosso bem-estar e as nossas expectativas. É por causa dos números que protestamos. Ao dizer que não somos números, queremos então dizer o quê? Talvez isto: que nós próprios somos os únicos juízes de quanto devemos ganhar, comprar, pagar, ter – e que ninguém pode fazer contas ao que queremos ou precisamos.”

 

Faz falta quem nos diga que andamos todos a gritar ao vento sem perceber o vento que passa. As palavras acima são da última crónica de Rui Ramos no “Expresso”, uma das vozes mais avisadas deste nosso país órfão de vozes que valha a pena escutar. Não somos números mas vivemos obcecados por cifrões. Pelos que temos e não temos, pelos que reclamamos merecer mas pouco fazemos por isso, pelos que não nos pertencem mas que pedimos emprestados, mutuados, empurrados para os nossos bolsos sem fundo. Para podermos ser considerados algo mais do que números temos que reeducar todo um estilo de vida e de sociedade que se sustentam sobre os pilares que estes alimentam. Temos que nos habituar a fazer os actos convergir com as palavras, convém que o que pregamos esteja de acordo com a religião que professamos. Também é por isto que chegámos a este buraco escuro e sem fundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 18:00

Os meninos e o homem de barba rija (Moreirense 2 - Sporting 2)

Segunda-feira, 26.11.12

 

 

Godinho, apresenta a demissão! Vercauteren, não serves! Senhor, tende piedade de nós! Este foi o meu grito de revolta ao intervalo, depois de mais 45 miseráveis minutos de futebol. Depois, o tipo que como a minha Senhora disse “este é que é o treinador do Sporting? Tem pinta de bêbedo” decidiu, ou melhor, foi forçado pelas circunstâncias a colocar em campo um homem de barba rija, um jogador com sabedoria suficiente para impor ritmo a toda a equipa, Rinaudo, um homem com tomates. Com ele o Sporting melhorou o suficiente para arrancar o empate, felizmente não o suficiente para vencer e turvar-nos a percepção que nos impedisse de perceber que tudo aquilo é mau demais. Os centrais são os piores da nossa história, Dier é um miúdo com futuro mas não a lateral direito (e isto apesar da garra no golo), Insua anda apatetado, Elias é zero, Schaars morre de saudades de Rinaudo, Pranjic é um mediano com um virtuoso pé esquerdo, Capel teima em não levantar a tromba do chão enquanto corre que nem um desalmado, Carrillo tresanda futebol mas afunda-se nas desconfianças da equipa, Wolfs não tem equipa e tem demasiadas flutuações exibicionais. Soluções realistas? Acabar a época com um mínimo de dignidade (eu sei, eu sei, nem a meio estamos) e conseguir um lugar na Europa, escolher uma dezena de gajos que não nos envergonhem para a próxima época, juntar-lhes os melhores emprestados e os melhores da equipa B, contratar dois ou 3 jogadores chave de créditos firmados e começar tudo do zero.

 

Não quero voltar a virar a cara para não ver o que se passa em campo, não quero voltar a mentir ao meu filho quando olha para a minha cara de caso e me pergunta “estás triste, pai?”, não quero voltar a receber mensagens de amigos vermelhuscos condoídos e a desejar as nossas melhoras. O sofrimento humano tem limites, tenham vergonha na cara e façam-se homens, rapazes!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 23:06

Ohhhhh Ahhhhhhh, Cantona!

Domingo, 25.11.12

  

 

"If ever there was one player, anywhere in the world, that was made for Manchester United, it was Cantona," Ferguson said. "He swaggered in, stuck his chest out, raised his head and surveyed everything as though he were asking: 'I'm Cantona. How big are you? Are you big enough for me?'"

 

Cantona developed a relationship with United supporters of such an enduring and spiritual nature as to bear legitimate comparison with any in the game's history. "I cannot explain it," said Cantona in Manchester United: The Biography. "And I don't want to explain it. It's like love. You know when you are in love, you don't need to explain how you feel or why you feel like that. I think if you want to explain what was going on between me and the United fans, it would take six months. Sometimes it's better not to explain."

 

O The Guardian decidiu recordar Cantona, 20 anos depois do telefonema que o levou ao Manchester United. Duas décadas depois Alex Ferguson é hoje Sir, um dos mais admirados treinadores do mundo e fez dos red devils uma equipa always on top. Hoje, Ronaldo e Messi são mais espectaculares, marcam mais golos, enchem mais os bolsos e vendem mais camisolas? Pois, fazem tudo isso e mais alguns pozinhos de merchandising, mas comparando-os com Monsieur Eric falta-lhes tudo o resto: personalidade, classe pura, mística, áurea, um gesto único que jamais será esquecido - o levantar da gola depois de mais um fenomenal golo. Those were the days.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 15:31

O corpo sem dono, o corpo de todos

Sábado, 24.11.12

 

 Fernell Franco, série Prostitutas, 1970

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:09

Versão "soft porn" e estival do "Passam por mim no Rossio"

Sexta-feira, 23.11.12

 

 Fotografia de Sergey Chilikov

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 16:54

Basileia 3 - Sporting 0 (o fim da paixão?)

Quinta-feira, 22.11.12

 

 

Partilho o gabinete de trabalho com um colega sportinguista, com mais alguns anos do que eu, o mesmo é dizer com mais alguns anos de sofrimento do que eu. Há 10 anos, quando nos conhecemos, ele disse-me: “Eu em novo era doente como você. Ia ver os juniores, o hóquei, o andebol, os treinos de todas as modalidades, não perdia uma. Mas a coisa passou-me, não se preocupe que também lhe há-de passar a doença”. Eu sorri e respondi-lhe que com a idade a coisa tinha vindo a piorar. Dez anos mais tarde o vazio. Pergunta-me ele a meio da tarde se eu ia sair mais cedo para ver o Sporting. Olhei para ele e respondi, sem ponta de entusiasmo, que pouco me interessava o jogo de hoje. Disse-lhe ainda que há uns anos, quando foi a final da Taça Uefa desbaratada pelo Sporting em Alvalade, ia tendo problemas por ter saído cedo e marimbar-me numa urgência que a chefe me anunciara às 16 h do dia D. Era o meu Sporting numa final, tinha que me ir encharcar de imperiais com outros leões de sangue para que o coração aguentasse.

 

Entrei no carro para fazer o caminho de regresso a casa, liguei o rádio e ao ouvir o relato tristonho lembrei-me que estava o Sporting a jogar. Num trajecto de 10 minutos fui ainda brindado com o 2º e o 3º golo desses papões suiços que são o Basileia. O comentador, visivelmente irritado, relembrava que nunca o Sporting tinha perdido na Suiça, quanto mais por 3-0. Esqueço-me dos jogos, deixo de sofrer por antecipação, não altero todos os meus horários para tentar ver todos os minutinhos de futebol do meu Sporting, os meus amigos lampiões já nem sequer me enviam sms a gozar com as desgraças leoninas. Estes betinhos copos de leite que nos últimos anos quiseram brincar aos viscondes apaixonados pela bola mais que darem cabo do nosso clube conseguiram o impensável: deram-nos cabo da paixão!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:31

A culpa morre sempre solteira, E.T. Go Home e, claro, afinal a culpa é do Godinho!

Quarta-feira, 21.11.12

 

 

De tempos a tempos gosto de deixar umas provocações pelo facebook. Descansa-me as meninges e por outro lado serve de barómetro à opinião de uma camada interessante da população (a amostra recai nos meus amigos, logo a camada é interessante, atente-se). Deixo aqui o extracto de uma conversa resultante de uma provocaçãozita que por lá deixei. Não sendo matéria de grande interesse para a salvação da nação, pode dar umas luzes sobre a causa das coisas e, ao mesmo tempo, colocar-nos uns sorrisos em substituição das expressões acizentadas.

 

A minha pessoa (AMP) - Lido ali ao lado: "Vamos na rua, nos cafés, nos transportes públicos, e só se ouve «eu cá não votei neles!». Pois não, deve ter sido golpe de estado enquanto andávamos distraídos..."

 

Amigo 1 – Atenção! Na altura das eleições a bandeira não se hasteava ao contrário nem o hino parecia a marcha fúnebre...quem te diz a ti que os candidatos não foram, após eleições, substituídos por perigosos extraterrestres provenientes de outra galáxia? Não negues á partida uma ciência que desconheces...

 

AMP - Boa Amigo 1, tudo tem uma explicação...agora deve bastar dizer: "E.T. go home"!

 

Amigo 1 - ET go home? Já chamaram tanta coisa á angela... Steven Spielberg parece-me ofensivo porque além do buço não vi pilosidade que o justifique...vou falar com a Alcina Lameiras e depois digo qualquer coisa...

 

Amiga 2 - Eh pá, mas é que eu não votei mesmo neles! Vou dizer o quê?

 

AMP – Amiga 2, és a chamada excepção que confirma a regra.

 

Amiga 3 – Eu de certeza não votei neles nem nunca votaria!

 

AMP - Bom, crescem as excepções à regra...querem ver que foi mesmo golpe de Estado?

 

Amiga 2 - Para a próxima tiro uma foto ao boletim!

 

Amiga 4 - Há muitos anos que voto em branco. Até agora não tinha deixado de votar, era a minha forma de dizer "Não quero nenhum destes". Com tantas excepções...de onde terão vindo os votos afinal?!?

 

AMP - Boa pergunta, amiga 4, a resposta está na vergonha escondida de muitos, diria eu...

 

Amigo 5 – Estás a falar do Godinho Lopes?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 18:19


Pág. 1/3





mais sobre mim

foto do autor


subscrever feeds



Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters


favorito


links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

pesquisar

Pesquisar no Blog