Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Tanto que ensinam e não aprendem o básico

Sexta-feira, 01.01.10

 

 

É difícil aceitar que o cerne da questão está, sem margem para dúvidas, nos bancos da escola, no giz que rabisca os quadros negros, ou, se preferirem, nos dinâmicos powerpoints ou nos interactivos magalhães. Sem jogos de palavras, é preciso afirmar convictamente que o futuro deste, de qualquer país, está directa e irremediavelmente ligado à qualidade do seu sistema educativo. Este está nas mãos dos professores, estes têm nas mãos o futuro dos nossos filhos. Por isso vamos satisfazer-lhes todas e quaisquer pretensões corporativas? Não, é preciso ser mais inteligente que isso, diria que nenhuma sociedade pode dar-se ao luxo de ser refém de qualquer grupo profissional.

 

Todo o meu percurso educativo, dos bancos da primária ao canudo final, foi feito na rede educativa pública. Tive alguns excelentes professores, tive alguns caricatos docentes que ainda hoje não sei como construiram uma carreira no ensino sem que ninguém lhes retirasse a responsabilidade de educarem alguém (quanto mais permitir-lhes progredir na carreira), tive na maior parte dos casos professores bem formados e que percebiam e assumiam o sentido da sua missão. Contudo, tenho sérias dúvidas que ainda assim seja.  

  

 

 

 

Como é possível que uma classe com este peso social permita que o futuro da sua profissão, do sistema educativo, dos nossos filhos, esteja nas manipuladoras mãos de artistas da estirpe de um Sr. Mário Nogueira? 38 pontos para chegar a um acordo? Mas será que o tanto que ensinam não lhes ensinou nada? Será assim tão difícil perceber que a razão da existência deste tipo de sindicalistas é o eterno confronto, que o encontrar de soluções significa o extinguir das razões da existência de parceiros sociais como os que estão por detrás dos Srs. Mários deste portugalzinho?

 

Quero acreditar que os professores irão, antes que seja tarde, perceber o pântano em que progressivamente se vão atolando. Um pântano de perda de credibilidade, de mesquinhas discussões por regalias inexistentes em quaisquer outras carreiras públicas, um pântano que poderá conduzir ao pior desfecho de uma guerra: o de uma guerra sem fim. Para este desfecho basta que eles não queiram ceder naquilo que a sociedade entende como injustificáveis regalias. Sim, porque nisso o Estado não poderá ceder, é o interesse público e o princípio de um tratamento igualitário que o impõe. Os nossos filhos são também os vossos filhos, Senhores professores, nunca se esqueçam disso.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 19:48


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.





mais sobre mim

foto do autor


subscrever feeds



Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters



links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

pesquisar

Pesquisar no Blog