Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Guilty pleasure - ena pá!

Quarta-feira, 10.06.09

Confesso, os Ena Pá 2000 povoam o meu imaginário, impõem-se como um guilty pleasure que a minha entrada na idade adulta (já lá vai mais de uma dúzia de anos) não conseguiu apagar. A javardice alarve de Manuel João Vieira dilui-se numa inata capacidade de intelectualizar a badalhoquice quotidiana, os seus urros orgiásticos confundem-se com hinos ao nobre erotismo, o jogo de palavras que soam a poesia barata mais não são que uma concessão ao estado animal da condição humana, uma assunção sem remorsos de que todos vimos da selva. Fiquem com alguns inequívocos exemplos desta conversa da treta.

 

(Humilde contributo para a vexatio quaestio que nos atormenta os espíritos: indivíduos do mesmo sexo que nutrem sentimentos de índole amorosa um pelo outro, devem ou não ser obrigados a passar pelo martírio do casamento? Ou será essa imposição uma violação escandalosa do princípio da proporcionalidade da pena?)

 

 (A mais sincera e get to the point música de amor do panorama musical português)

   

(Uma abordagem filosófica da polémica relativa à volumetria do humano e sua influência decisiva na nebulosa das sinapses do prazer)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:48

O Nobel sem medo

Terça-feira, 09.06.09

 

 

Saramago é, além de um escritor nobelizado, uma fonte de declarações polémicas, bastas vezes descabidas e corroídas por uma ideologia muito própria, que já não sendo o comunismo ortodoxo de início de carreira se aproxima de uma visão muito pessoal da actualidade e dos fenómenos socio-políticos. Creio que é um daqueles indivíduos de quem podemos dizer que ou se ama ou se odeia, mas que não deixa ninguém indiferente.

 

Mas Saramago também é capaz de dizer o que muitos pensam mas não arriscam sequer suspirar, é incisivo e certeiro quando se pronuncia sobre os podres de um mundo que já não é o dele, medo é uma palavra que a sua coragem e idade eliminaram já há muito do dicionário do escritor. Apontou a arma fulminante a Berlusconi (a sua língua viperina e inclemente) e partilhou com o mundo, através do jornal El Pais, os estilhaços do disparo na mouche: "Berlusconi é uma coisa perigosamente parecida com um ser humano, uma coisa que dá festas, organiza orgias e manda num país chamado Itália". Saramago diz e repete que Silvio é um delinquente sem perdão.

 

Sinceramente, o que mais me surpreende no asqueroso fenómeno Berlusconi é perceber a normalidade com que ele é encarado pelos restantes governantes europeus, como é tão raro ver uma alta patente europeia indignar-se com os comportamentos inacreditáveis deste Mussolini de algibeira. Assistimos nessas atitudes encapotadas às mais escabrosas manifestações da real politik. Mas Silvio não é só desgraças. Atentem por favor ao currículo e à pinta das suas brilhantes candidatas ao Parlamento Europeu. Isto sim, é sincera preocupação com a qualidade da democracia europeia e com a alegria do povo!

 

 

 

ANGELA SOZIO

Licenciada em contabilidade, corista e modelo, famosa pelas fotos em que a roupinha não abunda. Ex-participante da versão italiana do big brother.

 

 

 

 ELEONORA GAGGIOLI

Ex-estrela de televisão

  

   

 

 

CAMILA FERRANTI

Actriz de telenovelas
  
  

 

 

BARBARA MATERA
Formada em ciências da educação, ex-participante do concurso Miss Itália e apresentadora da RAI
   
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:33

Rescaldo de uma noite eleitoral

Domingo, 07.06.09

  

1. O PS estava à espera de tudo menos disto. Sinais da surpresa: o Altis às moscas, Mário Lino a fugir para se refugiar no seu cachimbo, a Ministra da Educação a enxotar os jornalistas como se tivessem lepra e só servissem para usar quando lhe convém.

 2. O PSD continua recheado de meninos com camisas de marca e golas brancas  que entoam cânticos giros e animados. Aqueles meninos que chamam tios aos amigos dos pais, que vão de bons carros para a Faculdade, e que têm cortes de cabelo que dão expressão à palavra betinhos. Muda o disco e toca o mesmo.

3. Enquanto Miguel Portas falava, na plateia os seus apaniguados deglutiam cervejas pelo gargalo, mostrando toda a sua cultura cívica.

Das camisas bem engomadas para os cabelos à rasta. De um país em crise para a crise de um país. Olha-se, procura-se, esgravata-se no tecido político português e não se vê um D. Sebastião. Não é preciso tanto, mas é preciso seriedade, dedicação ao país, intenção exclusiva de servir a causa pública, é preciso dar esperança ao povo sem artifícios nem ilusões. É preciso esperança bem sustentada. Esforcem-se por merecer a nossa confiança, senhores.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:11

A vida num minuto ou a magia de uma bola que beija a rede no derradeiro momento

Domingo, 07.06.09

 

O futebol é isto, senhores. Em 1 minuto Carlos Queiroz deixou de ser o pé frio e aproximou-se um pouco da imagem de fazedor de milagres. Quando surge um golo no último minuto tudo o que de mau para trás se passou se desvanece como uma ténue neblina matinal. Mesmo contra a Albânia o sentimento que persiste é que o homem está a dar a volta à sorte, a esperança renasceu na cabeça de Bruno Alves, um homem que, para além de Bosingwa, se assumiu como representante da raça lusitana.

 

Foi um minuto que salvou, por agora, a credibilidade de Queirós e a esperança na selecção. Se esse minuto não se tem passado daquela forma, se Meireles não conhecesse Bruno Alves como conhece, a frustração iria dificultar ainda mais a vida ao Senhor Engenheiro, no dia de amanhã. Sim, o povo quando dispara não olha aos alvos, todos pagam! Fazendo de conta que o resultado final foi o empate, teria alguma perguntas para o senhor professor. Melhor dizendo, mesmo vencendo, as perguntas continuam a ser pertinentes. Vou lançá-las ao vento, pode ser que alguém as agarre:

1. O renascimento de Boa Morte na fase descendente da sua carreira foi inspiração divina ou mais um incompreensível tiro no pé?

2. Num jogo que só se pode ganhar, em que a Albânia demonstra um poderio atacante a um nível a roçar o medíocre, porquê a opção por 2 trincos de início, porquê mantê-la durante tanto tempo?

3. A bola que queima as mãos de Eduardo doesn´t ring a bell, mister? Contra a Dinamarca e a Hungria espera-se que aquela tremideira não dê em desgraça?

4. A agressividade, o fio de jogo, a garra e inequívoca vontade de ganhar perderam-se na racionalidade predominante do seu discurso? A paixão de Sir Alex Ferguson e a inspiração que contagiava os meninos de Manchester não lhe permitem perceber que ao futebol é essencial a paixão? Os cientistas alimentam-se de racionalidade, mister Queirós, mas esses não dão pontapés na bola.

5. Cristiano Ronaldo tem dado tudo em campo, ansioso por mostrar todo o seu valor. Tanta ansiedade não pode ser resolvida com uma conversa, com um retirar de algum peso de cima do rapaz? Aqueles remates que falham sempre por centímetros, aquelas arrancadas sufocadas de vontade que por isso esbarram sempre no último adversário, não podem ser conversadas com a nossa estrela, senhor professor?

6. Não seria bom ter bebido algumas das muitas coisas que o mister Scolari trouxe para a selecção, senhor professor?  A humildade não é um defeito, é uma assunção de que não estamos sozinhos no mundo, que convém não pormos as palas nos olhos e avançarmos às cegas, como se não houvesse passado. Isto senhor professor, se não quisermos hipotecar o futuro.

 

  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 00:52

O dia da reflexão ou uma boa oportunidade para irmos comer uns caracóis e não pensar em nada

Sábado, 06.06.09

 

Começo a escrever este post quando passam 40 minutos da entrada no dia da reflexão. Pensar, ponderar, analisar, reflectir, sopesar as diversas propostas, promessas, posições, os diferentes caminhos que os partidos políticos colocam à nossa escolha. Desculpem? Alguém deu por isto? Mas sobre que raio vamos nós reflectir após esta inacreditável e decadente campanha eleitoral?

 

Bom, temos sempre a hipótese de tentarmos repisar os variadíssimos argumentos da novel estrela da lusitana política, um misto de boneco sabichão com boneco da Michelin que perora sobre tudo o que é matéria, sendo que toda essa matéria incide em 99% dos casos sobre os defeitos, malefícios, vícios e outras enormidades do Engenheiro Sócrates. Ah, no 1% que resta está a brindar jornalistas com os seus já famosos ataques de espirros.

Mas uma esperança reluziu no fundo do túnel. Um professor catedrático surgiu, qual D. Sebastião, para fazer regressar à ribalta da política a discussão das ideias, os grandes temas europeus, o futuro da União Europeia. Ora bem, vamos lá ver se é desta que a coisa se eleva! Mas...espera lá, temos um revivalismo da bem portuguesinha fantochada da Marinha Grande. Temos troca de acusações entre um ex-comunista que não se conseguiu separar dos seus entranhados métodos de profunda ortodoxia comunista, versus sindicalistas de pacotilha que fazem questão em manter a malta menos avisada num passado que cada vez mais a afunda. 

Mas o Vital candidato não se fica por aqui e atordoa os adversários com exclamações de roubalheiras, logo depois atenuadas. Não recua o nosso herói e ataca com impostos europeus alardeados e logo de seguida silenciados. Senhor Professor, não era necessário subir a uma torre de marfim para discutir o sexo dos anjos, mas o pólo oposto da baixíssima chicana política, podendo agradar a algum povinho, não motiva certamente o cidadão médio deste nosso Portugal (espécie de cidadão que quero acreditar ainda exista).

Voltando o bico ao prego, que é como quem diz, virando o pescoço à direita, o que vislumbramos? Uma nova esperança, um ainda quase jovem Melo que pode dar novos caminhos à facção mais conservadora da nossa sociedade. Espera-se competência daquele ar convincente, daquele discurso eloquente não se pode esperar outra coisa. É então que perco uns minutos para o ouvir e sou surpreendido por uma proposta sobre algo estranho como a melhoria da legislação do Conselho da Europa. Pois é Nuno, só é pena o Conselho da Europa ser uma respeitável instituição, mas infelizmente não ser um órgão da União Europeia. Enfim, pode ser que com o afã da perseguição ao BPN e os esforçados beijinhos nas peixeiras acabes por ganhar uns votitos.

 

Quanto ao nosso curtido Miguel, o modernaço de esquerda, não fora o enjoo que já se nota a estas coisas de andar no meio do povo (devia aprender com o maninho da direita), até podia seduzir com o seu discurso semi-catastrofista, com o seu ar de quem já fumou uns charros e sabe o que é a vida, com aquela abertura para movimentos das franjas da sexualidade. Acho que do Miguel já toda a gente sabe o que pode esperar: algum circo, umas incisivas críticas aos males da governação, mas cada vez mais se percebe que o que de construtivo vem dali assenta sempre nas coisas giras da vida: o casamento dos homossexuais, a adopção dos homossexuais, a liberalização das drogas leves, enfim, aspirações fulcrais da nação.

Para terminar a D. Ilda. Simpática, podia ser a vizinha lá do prédio, ajuizadinha e humilde e, ainda para mais, diz que quer receber menos do que aquilo a que tem direito, que não é como os outros que só vão lá para encher os bolsos. Excelente senhora para gerir o condomínio lá do bairro. Mais que isso é loucura, D. Ilda.

Reflectir sobre os desafios da Europa, o papel das instituições europeias no combate à crise e no crescimento da economia, a importância do reforço dos poderes do Parlamento Europeu e o que fazer com eles, o que melhorará de facto o Tratado de Lisboa, as políticas de emigração comuns, epá, qualquer coisinha sobre a Europa, uma ideia, uma discussão construtiva e instrutiva, epá, deixem-nos reflectir sobre algo!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 02:32

Da série a arte está em todo o lado - biquinis

Quarta-feira, 03.06.09

Verão escaldante, calor sufocante, cocktail refrescante, biquini chocante. Rimas fáceis em dias de Verão , cérebro desligado, toda a dedicação aos prazeres da vida, às pequenas coisas que tornam o passeio que por ela damos inesquecível. As fotografias de bombas em corpos de mulheres são trocadas por óleos, telas, pop art e outras manifestações artísticas. Porque a arte é vida, porque a vida é feita de coisas pequeninas. Como devem ser os biquinis, pequeninos.

 

 

  

 

 

 

 

 

  

 

 

 

  

 

  

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:54

Da importância de um ticket de estacionamento

Terça-feira, 02.06.09

Descobrir preciosidades por entre milhões de inutilidades é o papel de um garimpeiro experimentado. Descobrir uma fantástica curta-metragem perdida no youtube enquanto se procura algo completamente diferente, it´s one in a million. Tirem 15 minutos da vossa vida para ver esta curta e acreditem que no final estarão um pouco diferentes, para melhor, espera-se. Ou então enfastiadíssimos e com vontade de insultar este humilde escriba. Ah, e os mais sensíveis que ponham o lenço a jeito, que já vi pedras chorar por menos.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:49

Da série pérolas da blogosfera - Pénis tatuado na ignorância do povo

Segunda-feira, 01.06.09

Custa tanto dar razão a ideias vindas de pessoas, partidos ou grupelhos dos quais nos habituámos, fiel e afincadamente, a discordar. Mas a questão é só uma: o Estado já ampara os desempregados, os inúteis, os que preferem ficar em casa a receber o subsídio da ordem em vez de fazer pela vida, só nos faltava que essa aborrecida tarefa que é educar a filharada passasse também para a esfera do grande pai invisível. Este texto da Ana Cássio Rebelo é tão duro e certeiro como um murro no estômgo do Mike Tyson. Leiam mais da Ana em ana-de-amsterdam.blogspot.com/, acreditem que os murros se vão repetir.

"Pela manhã, no comboio que vem de Alverca, uma mãe gabava a duas companheiras de viagem a tatuagem que o seu Leandro Miguel fizera no pénis. Linda, assegurava, assim tribal a fazer lembrar aquelas tribos da Indonésia, Polinésia ou lá o que é que é. As outras davam gargalhadinhas nervosas. A mulher devia ter uns quarenta e cinco anos e falava com entusiasmo do seu filho Leandro Miguel. Também tinha um piercing na língua. Usava as calças muito largas. Só queria roupa de marca. O boné custara-lhe quarenta e cinco euros. Os últimos ténis quase cento e vinte.

Tinha dois brilhantes nas orelhas. Às vezes, para desenjoar, tirava os brilhantes e colocava umas argolas de ouro branco. Não era bom aluno. Isso, porém, não parecia preocupar a mãe. Que o filho fosse medíocre como ela própria era algo que parecia quase confortá-la. Por fim, em jeito de remate, para mostrar que era uma mãe modernaça, muito prá-frentex, que comungava dos interesses do filho, mostrou a tatuagem que fizera no tornozelo. Um golfinho saltando nas águas do mar. Uma beleza.

(Custa-me reconhecê-lo, mas o CDS tem muita razão naquilo que diz em relação à polémica da distribuição de preservativos. Compete às família, pobres, ricas, remediadas, e não à escola educar os filhos. Compete às famílias e não à escola assegurar que os miúdos tomam as precauções necessárias quando iniciam uma vida sexual activa. Compete às famílias explicar que o sexo não se inicia aos doze, nem aos treze, nem aos quinze anos e que quem o pratica corre riscos.

Quem não quer educar os filhos, quem não está para os acompanhar, não os deve ter. Se o Leandro Miguel quiser foder, com o seu pénis tatuado, as feiosas todas do 10º ano da escola secundária da Arrentela que o faça. Se engravidar uma Bruna ou uma Micaela Cristina, cujo sonho secreto é participar numa novela da TVI ou ser capa da Maxmen, que engravide. Se apanhar uma doença infecto-contagiosa e morrer antes dos vinte e cinco é uma sorte para todos nós.)"

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:33


Pág. 3/3





mais sobre mim

foto do autor


subscrever feeds



Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters



links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

pesquisar

Pesquisar no Blog