Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sporting 0 - Bayer Leverkusen 1

Quinta-feira, 18.02.16

FB_IMG_1455833309713.jpg

O Teo não quer saber nada disto, quer é férias na sua terrinha. O Jesus quer saber um bocadinho disto, mas quer saber muito mais do campeonato. Os alemães não querem saber da técnica refinada de João Mário e Ruiz, querem é chutar com mais eficácia, cruzar com mais direcção e correr mais do que a equipa adversária. Não interessa fazer bonito, interessa ser mais forte e ganhar. Por mais que JJ o explique, não consigo perceber como é que mais 60 minutos de futebol dos nossos 2 mais importantes jogadores (Slimani e Adrien) iriam fazer perigar o campeonato nacional. Não foi um dia bom rapazes, não foi a melhor estratégia mister. Está decidido? Não, nada disso, mas na segunda mão temos que dar tudo, entrar com os melhores. Vejam lá isso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:10

O co(r)po (con)sentido

Quarta-feira, 17.02.16

  b1.jpg

 

Há imagens que me inspiram histórias e quimeras, outras que se entregam à sede do poema. Há quem meça o quanto se ama pelo quanto se sofre desse amor. Valerá a pena amar para sofrer assim? Sofre assim quem um dia sentiu amor?

 

 

Renego neste preciso instante o doce abraço deste copo.

Já te esqueci

muito para além da paixão etílica a que me entreguei

já sangrei a dor das feridas.

Sou esquecimento de ti e de mim

pureza da reconfortante sonolência

estou para lá da superlativa bebedeira.

O copo sou já eu

o veneno que me polui entranhou-se no meu sangue.

 

O que resta de ti sou eu neste bar cinzento e nebuloso

recordar e sofrer

recordar e sofrer

a dor já sem efeito sobre mim

tanto que sangrei já de ti.

O ciclo de auto-destruição dispensa mais acções

o trabalho está feito e bem feito.

 

Canonizei-me nos meus e só meus rituais de auto-mutilação

fiz de ti a minha cruz

o meu monte dos vendavais.

Emigrei para um país distante de mim

esqueci a língua mãe

penetrei na raíz dos pesadelos

abracei esta morte lenta

lenta

lenta.

 

Posso agora pedir a conta

entregar nas tuas mãos a gorjeta de uma vida sem sentido.

Bom proveito.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 23:59

Behind the camera

Quarta-feira, 17.02.16

 

1.jpg

 

Como em tudo, neste mundo, também na arte, nomeadamente na fotográfica, escasseiam mulheres face ao tanto que têm para dar. É para mim inquestionável que a sensibilidade feminina se ergue bem acima do olhar masculino. Contudo, quando ouvimos falar de grandes fotógrafos e de fotografias famosas raras são as mulheres que abrilhantam esse panteão. Ora aqui está um belo motivo para polvilhar a nata do Bolas e Letras com mulheres que se escondem por trás das câmaras, famosas ou incógnitas, belas ou desinteressantes, com o produto da sua arte - as imagens que nos seduzem mais do que a própria mulher - em jeito de compensação pelo incompreensível desinteresse a que são votadas as artes femininas, também nesta área. Já o disse e reitero esta sincera percepção do estado do mundo: enquanto as mulheres não passarem a ocupar o topo de muitas das actividades humanas o mundo não evoluirá como poderia e devia. Pode ser que um dia a força bruta soçobre perante a delicada sabedoria das mais belas flores da criação. Enquanto isso não sucede, olhemos para a beleza que se esconde por detrás das câmaras.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 07:08

Laranja mecânica

Segunda-feira, 15.02.16

20160214_190344.jpg

Há filmes que nos acompanham a vida toda pois a cada esquina nos confrontamos com eles. De uma forma ou de outra recordo invariavelmente " A laranja mecânica" de Stanley Kubrick. Assistir à violência que grassa no mundo actual, sobretudo aquela para a qual não encontro sentido, raízes, um mínimo de justificação, transporta-me sempre à violência gratuita do bando de delinquentes liderados por Alex, agredindo com um sorriso nos lábios ao som de "I'm singing in the rain". O vento que sopra num deserto inóspito ou numa escarpa montanhosa tem uma razão científica, a violência pela violência oculta as suas razões nas profundezas negras desta triste condição que é a nossa, supostos humanos. Demorou anos, muitos, mas abro agora as páginas da obra de Anthony Burgess que deu origem ao filme. Em busca das raízes do mal, de algo que me explique os porquês de Alex e deste mundo cada vez mais incompreensível. Vou dando notícias, que isto é uma história com pano para mangas. Poderei não trazer respostas, mas espero divertir-me enquanto garimpo os túneis da nossa vergonha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 23:12

Soluções à medida para problemas complexos

Segunda-feira, 15.02.16

  

soluções à medida para problemas complexos.png

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 08:09

True love

Domingo, 14.02.16

  

amor verdadeiro.jpg

 

Há demasiada gente por aí há demasiado tempo em busca do verdadeiro amor. Há um mar de gente que se queixa por viver nessa ilusão, outros que lamentam saber que ele anda por aí mas que teima em não se cruzar com as suas existências, e há ainda os que no subconsciente têm a tímida sabedoria de saber que na realidade ele não existe mas não resistem à fraqueza de não o admitir. Esperai, há ainda aqueles que vivem algo perto do verdadeiro amor, mas que por não sentirem o corpo e o sangue em chamas a cada minuto que passa optam por menosprezar esse estado agradável mas fraco de intensidade. Ler o jornal lado a lado, em silêncio, enquanto a chuva cai. Demolhar a dois o cérebro no dolce fare niente defronte dos pixéis da fiel companheira com centenas de opções, à distância de um clique. Fazer amor só para adormecer com um sorriso nos lábios. Dizer até logo mecanicamente, porque se sabe que mais logo há o reencontro. Há milhares de estranhas formas de amor, porque teimamos em encontrar aquele que brilha mais que todos os outros? Saberemos nós que olhar fixamente o sol pode cegar? Há cegueira mais bela do que esse amor, o que cega?

  

love.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 08:20

Nacional 0 - Sporting 4

Sábado, 13.02.16

IMG_20160213_193309.jpg

Demonstrar personalidade em resposta à ausência dela nos outros. Nada temer, jogar de cabeça levantada e peito feito, ostentar no peito, junto ao símbolo, a raça e o orgulho de ser leão. Evitar fanfarronices, perseguir o objectivo final sem tremer e nada temendo. Impossível não confiar em vocês rapazes, seguimos juntos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:14

Benfica 1 - Porto 2

Sábado, 13.02.16

IMG_20160213_083040.jpg

Esta imagem do jovem central nigeriano do F.C. Porto a superiorizar-se ao consagrado avançado espanhol benfiquista resume na perfeição o clássico de ontem. Se José Peseiro revelou personalidade e coragem com esta opção, Rui Vitória falhou em conseguir que a sua equipa mantivesse contra um focadíssimo Porto a chama que tem mostrado contra equipas de menor igualha. Não basta alardear aos ventos que se quer e que se é capaz, é preciso demonstrá-lo inequivocamente nos jogos decisivos. Não o mostraram Jonas e Gaitan, as duas estrelas mais cintilantes da nação vermelha, que jogaram abaixo das suas possibilidades. Não o mostrou Rui Vitória que com as substituições que fez pôs a equipa a jogar menos, o que nao é de estranhar quando o Benfica acabou o jogo com Gaitan a defesa esquerdo. Há quem lhe chame muita coisa, eu chamo-lhe falta de personalidade. O resto são flores e coreografias bonitas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 08:43

A história da donzela que boiava por entre primitivos mamutes

Quinta-feira, 11.02.16

  

decote.jpg

 

Recordo-me de uma amiga que não raras vezes se lamentava de ter um peito demasiado imponente, que é como quem diz, em linguagem masculina, sexy, desejável, praticamente irresistível. Dizia-me ela que irritava-a que 99% dos homens estacassem quando ela passava para a contemplar, não pelo seu andar elegante, pelo seu palminho de cara ou pela elegância do seu vestido, mas sim por causa daquele irritante par de boias que temerariamente desafiavam a gravidade e a contenção masculina. Eu ria-me e dizia que tal não devia ser motivo de irritação mas sim de orgulho. Ela perguntava-me o porquê desta avidez dos homens por seios e eu respondia, desviando o olhar e fazendo-me de eunuco, que todos os homens têm, inconscientemente, saudades dos áureos tempos em que a sobrevivência lhes era concedida pelo colo da sua mãe. Ela sorria, dava-me uma palmada pela parvoíce (será?) e seguia o seu caminho, sob os olhares extasiados desses mamutes sexuais que dão pelo nome de homens. Lamento não lhe ter dito que o que ela tinha que fazer era concentrar-se no 1% que restava, que não ligava peva aos seus seios, mas que se ria das suas piadas tolas ou que permanecia em silêncio bebendo as suas palavras. Provavelmente esse 1% não existe verdadeiramente, mas creio que é merecedor de crédito quem tão brilhantemente omite o seu desejo em prol da virtude, mesmo que de forma forçada, ou, melhor ainda, em benefício do amor puro e duro. Tenham fé, meninas, eles, mesmo que escondidos, andam por aí.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 23:41

A mosca

Quinta-feira, 11.02.16

  

desvendar pq um tipo pode ser teimoso que nem uma

 

A falta de tempo leva-me a deixar por aqui estas inspiradoras e perfeitinhas frases inatacáveis. Depois, lembro-me da falta de tempo e das voltas que a vida dá e rio-me por pensar quão bom seria poder cumprir os desígnios destas sábias palavras. Como dizia o outro, rio para não chorar. Podia passar o resto da vida a pensar nas mil e uma razões porque não consegui perseguir este ou aquele sonho, ou podia também passar os dias a persegui-los, mas acabo por conceder que observar a mosca que rodopia sem parar, acompanhar aqueles movimentos tresloucados, quanto muito pensar porque se agitam incessantemente aquelas frágeis asas, é tudo quanto um tipo sem tempo e disponibilidade mental para passar a vida a perseguir moinhos reais ou imaginários é capaz nos dias que correm. Raio da mosca que parece enlouquecida!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 10:47






mais sobre mim

foto do autor


subscrever feeds



Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters



links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

pesquisar

Pesquisar no Blog