Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



25 de Abril sempre, mas também p´rá frente!

Quinta-feira, 24.04.14

 

Desde miúdo que adoro tudo o que rodeia o 25 de Abril. O significado, as histórias, a nostalgia, as imagens a preto e branco, o cravo, sempre o cravo, geralmente na ponta de uma espingarda ou na mão de uma criança. Hoje irrita-me ouvir os arautos da enferrujada saudade criticarem que os jovens de hoje não sabem o que foi o 25 de Abril, que desconhecem a história e os seus protagonistas, que são, ao fim e ao cabo, uns ingratos e uns seres desconhecedores das suas obrigações cívicas. Não é que os queixosos não tenham uma parte da razão, o que me irrita é perceber que por trás desta conversa está um imobilismo perigoso, um saudosismo que conduz ao beco do passado e ao receio de soluções futuras. O 25 de Abril hoje deveria significar a nossa vontade em libertarmo-nos da dependência externa para pagarmos o que devemos, devia conduzir-nos no caminho das soluções para quebrarmos esse desgraçado estado económico que é também um estado de alma. O 25 de Abril hoje deveria significar que estamos prontos para ir em busca do que realmente nos faz felizes, esquecendo os ditames de uma sociedade cinzenta que teima em olhar para trás. O 25 de Abril hoje deveria ser um grito de esperança e não um suspiro de saudade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:32


4 comentários

De Teresa a 25.04.2014 às 01:05

Os que criticam são os que não "sentaram" os filhos e explicaram que aquilo foi por eles, para eles, mas também o legado que deveriam conhecer, respeitar e perpetuar.

Aqueles que achavam que não fazia mal não ser um ser humano de valor e repeitador desde que tirassem o cursinho e fossem bem sucedidos. Resultado? O que está à vista.

Jovens que dizem que não valeu a pena o 25 de Abril no Facebook não sabendo que não o poderiam fazer não fosse exactamente o dito. Os que dizem que estamos muito pior do que então mas têm um carrinho todo pipi parado à porta da Universidade ou a stressar sobre onde estacionar junto às docas...

Foi engraçado ouvir Zeca na Assembleia; do ponto de vista cultural e intelectual. Sem punhos erguidos... De facto a cultura não pode, não deve, ser pertença de nada ou linkada a alguém mas de um Povo. Que tem a OBRIGAÇÃO de a conhecer, se mais não for... Foi bonito lembrar quão felizes éramos e fomos naqueles anos. Mas basicamente porque acho que não eramos nós que tinhamos as preocupações ou a responsabilidade - éramos muito - demasiado - novos. Triste perceber como certas realidades que ele cantou estão de volta. Talvez como menos miséria e desgarro - sejamos sinceros não é a mesma coisa apanhar a TAP para Paris do que levares o Tio Armando a um Açude no Norte de Portugal, onde daria o "salto" para Espanha e... Deus O Guarde.

Se hoje não se comemora e não se respeita o 25 de Abril deve-se ao facto de se achar que só Mia Couto poderia ter escrito o que foi escrito por "uma" Maria dos Anjos:

assobiorebelde.blogspot.pt/2011/03/geracao-rasca-nossa-culpa.html

Vejam lá isso!

Abraço,
Teresa


P.S. Estes streamings dão cabo de uma pessoa. Acabámos de jantar e seguíamos para a Assembleia quando ouvimos Goooooolo. 5 passos à frente outro golo. Que era o mesmo... isto para um Benfiquista deu, pelo menos, 4 golos esta noite ...o que é que eu te disse sobre os Italianos?

De bolaseletras a 26.04.2014 às 11:36

DE TERESA A 25.04.2014 ÀS 01:05
"Os que criticam são os que não "sentaram" os filhos e explicaram que aquilo foi por eles, para eles, mas também o legado que deveriam conhecer, respeitar e perpetuar. "

Perfeito, Teresa, é isso tudo. Temos que louvar o que foi feito há 40 anos, mas sobretudo renovar esse feito, para que as conquistas não tenham sido em vão!

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor




Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters



links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

pesquisar

Pesquisar no Blog