Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Assim se vêm dois canalhas

Quinta-feira, 07.06.12

 

 

Se há característica que cola a muitas das personalidades que nos habituamos a aturar neste Portugalzinho de tanta gente mesquinha, é a inveja. A inveja dança-lhes na língua, a inveja é o veneno que os alimenta. Quais abutres, pairam sobre tudo e todos, aguardando o momento certo para mergulhar sobre os corpos frágeis. Queiroz e Manuel José, por razões distintas mas ainda assim não tão distantes, decidiram atacar a selecção, os jogadores, o seleccionador, o trabalho de toda uma estrutura. Porquê? Porque são dois canalhas ressabiados. Se tinham alguma razão no que disseram? Não tiveram razão no timing, no ódio com que atacaram, pelo que tudo o resto fica por terra, sobretudo porque pouco tem a ver com futebol.

 

Louvo aqui a excelente resposta da Federação, através do seu gabinete de imprensa e de Humberto Coelho. Sobretudo, apreciei a mensagem: deixem lá de falar de tudo o que não é futebol e falemos sobre o futebol, os belos lances, os golos, as defesas únicas. De uma vez por todas, deixemo-nos de canalhices e saibamos apoiar a selecção. No fim fazem-se as contas, até lá apoiemos a nossa equipa. FORÇA PORTUGAL!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 11:39


10 comentários

De Teresa a 07.06.2012 às 12:32

Engraçado como até há semelhanças, traços físicos comuns

De bolaseletras a 07.06.2012 às 15:33

A inveja tem sempre os mesmos traços, Teresa;).

Neste país é tão fácil dizer mal e o pior é que o que vende neste cantinho é a medicência. Como disse abaixo ao Pedro, a selecção quis-se aproximar das pessoas, a comunicação social levou isso ao extremo. o circo foi montado mas os palhaços não são os jogadores. São os que buscam protagonismo - jornalistas, treinadores e comentadores, políticos, figuras públicas patéticas...enfim, o pior que o país tem.

De Pedro Nogueira a 07.06.2012 às 16:10

Relativamente aos jogadores, apenas os critico quando, com a camisola da selecção vestida, não se empenham da mesma forma que se empenham nos seus clubes, o que, infelizmente, acontece quase sempre. Quanto ao resto, estamos de acordo. O resto e muito resumidamente, são abutres a voar em círculo.

De Teresa a 07.06.2012 às 16:42

Porque aquele não é o Clube deles! Não é aqueles com quem eles trabalham dia a dia acertando um passo vencedor*.

Quem já fez uma substituição no local de trabalho sabe bem a diferença - é a mesma Empresa, são as pessoas que até conheces mas nunca é a mesma coisa.

Uma equipa demora a formar e não é em 2 semanas que formas uma super equipa que é o que é preciso para uma competição desta envergadura.

Depois entra o cultural e aí acredito que em povos como o Espanhol y su cagança de maiores da minha aldeia e divinização dos seus atletas ou em povos como o Alemão em que a frieza emocional dá origem a maravilhas atléticas têm o trabalho mais facilitado do que os Latinos...

A Ronaldo falta um Ozil e um Benzema como a Nani falta....


Eu não vejo falta de empenho vejo um baile que ainda não está "alinhado". E tu já viste jogos em Mundiais e Europeus em que é 90 minutos de Tango, Rumba, Samba... logo o nosso tinha de ser o "Bira"

De Pedro Nogueira a 07.06.2012 às 16:54

Teresa, aí está outro ponto de vista do qual nunca me esqueço e que também aponto quando me vêm com a conversa da selecção. Muitas vezes um ano não chega para formar uma boa equipa equipa (veja-se o Sporting :p) por todas as razões que enumerou e outras tantas tão válidas e tão correctas como as suas, logo, qual o interesse de juntar por uma semanita, umas quantas vedetas, vindas dos quatro cantos do mundo, cada um habituado ao seu futebol e aos seus métodos de trabalho para os tentar transformar numa equipa?
O futebol é um jogo de equipa e uma selecção, pelo pouco tempo que os jogadores treinam juntos, nunca será uma equipa. Nunca haverá tempo para os por a remar para o mesmo lado.
O futebol actual e a carga de jogos que isso acarreta nas mais diversas competições por clubes não dão espaço de manobra para que se possam formar boas selecções.
Já para não falar no problema acrescido da nossa que já referiu. Saiu-nos o “bira”.

De bolaseletras a 07.06.2012 às 16:57

Vamos lá a ver é se no fim não nos saiu foi um grande "birra";).

De Teresa a 07.06.2012 às 21:30

De O Corvo a 08.06.2012 às 23:16

A selecção não se forma em dez dias, diz a Teresa.
A nossa nem em dez anos, digo eu que as outras selecções formam-se.
Formam-se jogam com garra e empenho enquanto as nossa vedetas se preocupam em jogo é não desmanchar o look.
O Manuel José tem toda a razãoe disse a verdade, já o Queiroz foi um canalha porque ninguém lhe perguntou nada, mas ao MJ perguntaram e ele disse a mais absoluta verdade.
Os nossos jogadores são apenas vedetas...da imagem.
Os trabalhos da selecção em Óbidos custou 500 euros por dia para cada jogador, pagos com os nossos impostos. Portanto respeitarem mais o povo português não era favor nenhum e sim uma obrigação

De Teresa a 09.06.2012 às 16:17

Se vamos falar de impostos e respeito e obrigações estávamos aqui 3 semanas e mais alguns meses. Anos até...


Recebo tão pouco respeito por todos os meus impostos que mal de mim que guardasse os meus ódios para, de dois em dois anos, os destilar.


Só de pensar onde as minhas contribuições - nacionais, municipais e até pessoais - vão parar é de dar em doido...



Por mim, e pela Selecção, tomem lá.


É que hoje andei pela rua de manhã, e a esperança e a fé que vi nas pessoas (de bem) não tem preço. (e algumas, sei, nunca pagaram impostos na vida - quanto me custam esses por ano, durante todos os anos em que gerações atrás de gerações nunca trabalharam????)


Temos, obviamente, diferentes definições do que é respeito e obrigação. Eu, enquanto Portuguesa e pagadora de impostos desde os 18 anos, respeitarem-me é limparem a minha cidade, é não bloquearem o carro se me atraso no parquímetro e "calha" passar o reboque da polícia, é atenderem-me com civismo quando eu vou a um serviço público, é respeitarem-me na fila para qualquer coisa. Isso é respeitarem-me, é obrigação.


Ganhar à Alemanha? É só: "ganharam à Alemanha" "jogaram bem" "Miguel, se te volto a ver com a t-shirt do Shweinsteiger acabou-se a mesada".


Não me ponham nesse grupo de quem acha que a Selecção ME deve algo porque me deve tanto, e tem tanta obrigação como os médicos que fazem greve quando eu preciso deles, as enfermeiras que me atendem com maus modos, os professores que não têm paciência, a senhora do cartão de cidadão que me trata mal antes de tirar a foto tenebrosa... assim como eu devo a tantos outros.


Ontem vi o Polónia - Grécia. Houve ali 10 minutos - entre a expulsão do Szczensny e a defesa do Tyton - que eu sofri, vibrei e acreditei. Cada jogo vai ser assim, com Portugal ou sem Portugal. Tenho pena de quem só se senta hoje às 19H45 à espera de ver o Ronaldo levar uma cabazada. Não foi para isso que o Jogo foi inventado. Nem é para isso que eu pago para passarem os cabos que levam tv a vossas casas

De O Corvo a 10.06.2012 às 13:15

Não insista tanto na questão dos impostos, isso foi uma expressão, uma maneira de dizer que não trabalham de borla e tanto quanto saiba quem é pago para trabalhar tem obrigações.
Agora se a Teresa acha que não, que não têm obrigações nenhumas para com os portugueses, então tudo bem e está no seu direito de lhes bater palmas, Eu, como acho precisamenteo contrário, quero é que a selecção se lixe.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.





mais sobre mim

foto do autor


subscrever feeds



Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters



links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

pesquisar

Pesquisar no Blog