Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Juizinho, cabeça fria e todos à molhada!

Quinta-feira, 02.06.16

FB_IMG_1464906039668.jpg

 

Como ganhar o Europeu? Cabeça fria, muito Quaresma, José Fonte e Ricardo Carvalho, Renato Sanches em qualquer lugar e rezar para que o corpo de CR7 consiga jogar o que a sua cabeça pede e o seu talento permite. Abolir erros infantis e inadmissíveis, aproveitar a forma e confiança superlativas do nosso cigano. João Mário menos tímido, Nani picado por Quaresma, Danilo em vez de William e Adrien em vez de Moutinho. Fernando, bora lá, tu sabes isto. Força cambada, todos à molhada que isto é futebol total!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 23:22

As notícias sobre a sua morte foram manifestamente exageradas

Quarta-feira, 13.04.16

 

cr.jpg

 

Há umas semanas fui a Madrid ver o Atlético de Madrid anestesiar e humilhar o Real em pleno Santiago Bernabéu. Horas mais tarde, na noche madrilena, entabulei uma conversa com um espanhol adepto do Real que faz todo o sentido contar hoje, um dia depois de Cristiano Ronaldo explicar ao mundo, mais uma vez, que o Real dos últimos 5 anos é o Real de Cristiano. Bebia eu um descontraído gin com a malta olivalense quando um beto espanhol, daqueles com pinta de duque mal disfarçadamente falido, pelos seus 40 anos, lança um desdenhoso "ah, soys portugués" acompanhado de um sorriso armado ao superior. Olho-o nos olhos e respondo-lhe que sim, mas não daqueles portugueses de bigode e cheiro a suor que eles gostam de glosar. O tipo engole em seco, deixa-se de parvoíces e falamos do que realmente interessa quando a noite vai alta e o vapores etílicos elevados - isso, futebol, puro e duro. Ele diz-me que não compreende como é que tantos madridistas se atrevem a criticar o melhor jogador de sempre que passou pelo Real Madrid, um tipo que marcou mais de 30 golos em cada um dos últimos 5 anos, um "chavalo" que evitou a banalidade certa do Real Madrid, levando invariavelmente a equipa ao colo rumo a goleadas, vitórias e títulos. Sorrio e respondo-lhe que ele sabe a resposta para essas críticas absurdas. Ele abana a cabeça e confirma, baixinho, envergonhado, "Si, porque es portugués". Brindamos, sorrimos, ambos sabendo porque o fazemos, e ele desata a falar da dor que sentiu no Euro 2004, da maravilha que era aquela equipa portuguesa de Rui Costa, Figo, Deco, Cristiano ainda criança, Pauleta, Ricardo Carvalho, Nuno Gomes...Não lhe falo das fantásticas selecções espanholas dos últimos anos, é uma questão de respeito futebolístico, não podia elogiar uma selecção com a matriz de futebol do Barcelona. Despedimo-nos com a certeza de que igual a Cristiano não voltaremos a ver. Recusamo-nos a falar de Messi, sem sequer darmos por isso. Ali falava-se do Real Madrid, de Portugal, do futebol feito paixão de Cristiano, ali não cabia o futebol mecanicamente perfeitinho do gnomo do tiki taka. Cristiano Ronaldo, meus senhores, o melhor jogador português de todos os tempos. Se virá a ser ainda bem mais do que isso esperemos pela História que o há-de contar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 09:34

Olivais on tour, por entre os corredores do Thyssen e a alma ferida de CR7

Segunda-feira, 29.02.16

  

cr.jpg

 

Num fim-de-semana de deslocação olivalense a Madrid, a já famosa digressão intitulada “Olivais on tour”, comeu-se divinalmente, bebeu-se com parcimónia e qualidade, devorou-se a magia do Thyssen e, last but not the least, fomos ao Santiago Bernabéu dar um abraço ao Cristiano e confirmar se as notícias sobre a sua morte não seriam exageradas. Resultado? Cristiano está vivo, não com o fulgor e a eficácia do passado, mas é quem nunca desiste, é quem tem dentro de si a vontade e a raiva dos que nunca aceitam a derrota, embora isso no Sábado se tenha mostrado mais pela sua língua enraivecida do que pela magia do seu futebol. Cristiano Ronaldo está vivo mas este Real Madrid está moribundo. O que mais impressão me fez foi a indiferença de quem estava nas bancadas, os adeptos do Real Madrid parece que foram ali ver um filme ou uma sessão de ópera, disfrutar de um qualquer espectáculo tecnocrático, como se nas paredes do estádio estivesse uma placa a pedir-lhes silêncio, para não incomodarem o jogo e os jogadores. O futebol não é nada disso, é antes um espectáculo interactivo onde os jogadores puxam pelo público e vice-versa, onde o público aplaude os seus heróis ou os vitupera porque sente que estes não dão tudo até ao fundo de si. O público de Madrid, recheado de estrangeiros (chineses, japoneses, ingleses, latino-americanos de carteiras recheadas, olivalenses semi-desenrascados) que vão assistir a um espectáculo mas que não sofrem pela equipa, transforma um teatro que deveria ser de emoções vibrantes em mais um quadro que por acaso não está no Thyssen mas sim no relvado do Bernabéu. Falta alma e sangue ao Real, a alma que Cristiano Ronaldo não conseguiu manter dentro do peito.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 10:36

Shayk, Irina Shayk

Segunda-feira, 22.06.15

 Irina Shayk.jpg

O nosso Cristiano ficou sem a Irina e isso diz muito mais acerca dele do que da diva russa. As razões para o desquite foram já sobejamente glosadas, ficando no ar a quase certeza que terá sido o carácter insaciável e experimentalista da estrela do futjibóu que precipitou o fim. Há uns dias deparei-me com uma daquelas frases supostamente profundas, originais e lapidares que, mais coisa menos coisa destacava a ironia de serem quase sempre aqueles de quem mais gostamos que nos traem, quando seria expectável que essa agressão partisse dos nossos inimigos. Por vezes aquilo que parece terrivelmente inteligente é deveras idiota. Os nossos inimigos não nos poderiam trair pois a única fidelidade que têm para connosco são o ódio, a raiva e a hostilidade. Isso não se trai numa relação de ódio, cultiva-se. Trair é quebrar laços, sendo natural que esses laços apenas existam entre quem se gosta mutuamente. Outra interpretação, bem mais intrincada e com elevado grau de probabilidade igualmente idiota, é a de que Cristiano não traiu ninguém, apenas foi fiel à sua natureza. Passando por cima de tanta boçalidade, queria só avisar o nosso bom Cristiano que, um dia, mais tarde ou mais cedo, ele vai cair em si e perceber o inevitável: uma mulher destas só se tem uma vez na vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 17:21

Tostão, craques e a bola bem redondinha

Quinta-feira, 18.06.15

z_neymar.jpg

Perceber de futebol, saber ler o que se passa por entre aquelas 44 pernas que maltratam uma solitária bola, é uma arte que tem tanto de difícil como de simples. Nas poucas linhas que se seguem, Tostão, o outrora grande jogador, depois médico e actualmente cronista da Folha de S. Paulo, explica o que há para saber sobre Neymar, a atual seleção do Brasil, as diferenças de Neymar e Messi do clube para as seleções, e o porquê de Portugal não ser ainda o Brasil. Bebam e aprendam.

“Quem não concorda que Neymar é um craque é doente da alma e enxerga pouco. A dúvida está na comparação com os maiores de outras épocas. Não disse que Neymar é o melhor jogador brasileiro depois da Era Pelé. Escrevi que poderá se tornar. Imagino que será, pelo imenso e belíssimo repertório, e não apenas pelo número de gols que fará. Em um período maior, muito mais importante que o número é a média de gols, desprezada em muitas estatísticas. Não deveríamos misturar a admiração e as críticas à pessoa com as qualidades técnicas do jogador.

Nas comparações, costumamos nos esquecer de Garrincha, por causa do tempo e por seu estilo incomparável, fora do padrão das análises técnicas. No Botafogo, quando recebia a bola, nenhum companheiro podia chegar perto, para não atrapalhá-lo. O Botafogo jogava no 4-2-3-Garrincha.

Ocorre algo parecido com Neymar na seleção. Ele é tão superior aos outros, que, cada vez mais, descola do conjunto, para tentar decidir sozinho. Isso poderá trazer problemas, pois, nem sempre, ele vai brilhar tanto. No Barcelona, Messi e Neymar fazem parte do jogo coletivo. Messi, na seleção argentina, segue, na maneira de jogar, mais ou menos o padrão do Barcelona. Já Neymar é outro no time brasileiro, na posição e na postura. Tenta mais jogadas individuais. É um dos motivos de, às vezes, Neymar brilhar mais que Messi nas seleções.

(…) Discordo que o Brasil não joga melhor por causa de Dunga e que, cada vez mais, se parece com Portugal, pela dependência de Cristiano Ronaldo. O Brasil não joga melhor porque só tem um craque, mas possui um sistema defensivo muito superior ao de Portugal. A equipe marca muito bem, quase sempre com uma linha de quatro no meio-campo (dois volantes e um meia de cada lado), na proteção dos defensores. Defender bem é também importante.” 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 10:20

Portugal 1 - Itália 0

Quarta-feira, 17.06.15

 z_p3.jpg

Já com as férias no pensamento os nossos rapazes decidiram que era dia para serem mais eficazes, mais imbuídos de vontade e tacticamente mais inteligentes do que a Vecchia Signora. Dizer que a equipa rende mais sem Cristiano Ronaldo é idiota, mas não me choca aceitar que a equipa sinta que sem a sua estrela tem que dar mais de si para conseguir vitórias. Por outro lado, algum desequilíbrio táctico que possa resultar na pouca dedicação defensiva de Ronaldo deixa de se notar quando ele está ausente. Como muito bem sintetizou Fernando Santos, uma equipa que tenha CR7 será sempre Ronaldodependente, mas ontem a selecção compensou a sua ausência sendo muito equipa. Para resumir o que foi o jogo, e porque está calor e estamos a chegar à silly season, deixo algumas pérolas que fui plantando e lendo por terras do twitter, esse campo fértil de idiotices contagiantes:

- “Os McCann devem estar a usar este Portugal-Itália para adormecer os filhos que sobraram para poderem ir jantar à vontade.”

“Quem é este cigano cheio de tatuagens e o que é que fizeram ao nosso Quaresma?”

“«É um golaço de Éder». As últimas palavras antes da chegada do Apocalipse.”

“Tirei os olhos da minha imperial 2 segundos e pumba. Meteram-me ácidos e vi o Éder marcar um golaço.”

“Quem é este novo Eusébio e o que é que fizeram ao nosso Ederzito?”

“A confiança com que o Éder está, espero que lhe receitem calmantes ou é gajo para anexar a Áustria sozinho esta noite.”

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 11:03

Chamem o Murphy!

Quarta-feira, 06.05.15

IMG_20150506_223344.jpg

O nosso Cristiano continuará a ser o melhor ser humano a jogar à bola nesta bola que habitamos. O genial anão argentino não entra para estas contas pela simples razão que extraterrestres possuídos jogam noutros campeonatos. Se no primeiro golo Messi colocou uma mão no troféu do melhor jogador do mundo de 2015, no segundo, ao fazer Boateng desfazer-se como um castelo de cartas um segundo antes de fazer um chapéu, com o seu pior pé, ao melhor guarda-redes do mundo, Messi abraçou para a eternidade o título do melhor do mundo de 2015. Por fim, para os patrioteiros convictos como eu, deu uma bofetada de luva branca com a assistência com que enterrou as esperanças do Bayern de Guardiola. CR7 tem uma última hipótese: eliminar a Juventus e fazer melhor que Messi na final de Berlim. Tudo é possível, mas dava jeito que alguém chamasse o padre Murphy para exorcizar o anãozito endiabrado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:35

O Mustang que só sabia viver na pradaria

Quinta-feira, 16.04.15

 z_q_2.jpg

Não sou tipo para me prender a lamentos com o que já foi e jamais voltará a ser. Isto é assim na vida e, quase sempre, também na paixão clubística. Contudo, como a humanidade bem sabe e diariamente vai comprovando, quando entramos pelos pantanosos terrenos da paixão, a porca tende a torcer o rabo. Não é sem alguma dor neste coração empedernido que relembro os tempos em que jurava a pés juntos que o nosso Ricardo, o ciganito Quaresma, o nosso querido Mustang (assim apelidado pelo grande Laszlo Boloni) seria indubitavelmente cravado na tábua das inesquecíveis lendas do futebol, muito à frente da desengonçada girafa que dava pelo nome de Cristiano Ronaldo. Os tempos foram passando, o génio de Quaresma foi sendo traído por um feitio demasiado temperamental e por uma vontade de vencer que não acompanhou o seu talento, e a desajeitada girafa lá subiu ao altar que parecia destinado ao jovem ciganito. Ontem Quaresma deu-nos um pouco do que deveria ter sido. E porque não o foi? O mister Boloni, em jeito de certeira profecia, escreveu-o, em 2002, no seu livro "O Bloco Notas de Laszlo Boloni”.

 

«Vale a pena fazer aqui uma reflexão mais demorada sobre Quaresma. Até porque foi exactamente contra ao Standard Liège que este jovem me convenceu em absoluto sobre as suas potencialidades. Ele fez um grande jogo. Após este encontro comparei-o, nas minhas anotações, a um "Mustang" (cavalo selvagem) difícil de dominar. Anotei esse comentário com um grande ponto de interrogação. Perguntava-me, "será que algum dia ele conseguirá aceitar determinadas regras que o podem tornar num bom cavalo de corrida, com um bom galope, ou será que nunca vai aceitar essas regras e permanecerá um "Mustang", um cavalo selvagem, que corre livremente, mas sem rumo?".

«(...) Tivemos várias conversas ao longo da época. Percebi que ele nunca tinha sentido muito respeito, por nada nem por ninguém, e isso dificultava a sua integração na equipa. Expliquei-lhe que quando integramos um grupo, há que saber respeitar determinadas regras. Mas nunca quis responsabilizá-lo demasiado. (...) Só queria que este "cavalo" entrasse na boxe, integrasse o resto do grupo e que se sentisse tão bem no estábulo como se sentia na pradaria.» 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 11:22

Leo Hart e se Deus gostasse de bola

Quarta-feira, 18.03.15

IMG_20150318_214754.jpg

A paixão do futebol tem inúmeras formas, mas para mim nada supera aqueles raros jogos em que um guarda-redes, naquela solidão avassaladora que é a sua morada entre os postes, desafia o impossível e o torna possível. Hoje Joe Hart acreditou ser invencível e transformou golos certos em milagres. Do outro lado, o extraterrestre Messi, a fazer magia em cada toque, em cada simulação, na decisiva assistência perfeita para Rakitic. O que me chateia e envergonha não conseguir apreciar em todo o seu esplendor o futebol de Messi devido ao Ronaldopatriotismo é coisa que vocês nem imaginam. Se Deus gostasse de futebol não tinha juntado na mesma geração Ronaldo e Messi. Não sei, digo eu.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 21:58

Histórias cor de rosa do mundo da bola

Sexta-feira, 16.01.15

bola4.gif

Derivado do carácter multifacetado desta tasca de luxuosos gostos, em que tanto se vira um penaltie de tinto carrascão como se debica um Moet & Chandom de valor incalculável, é apanágio deste cantinho frequentado pelas mais altas individualidades da nação e pelos maiores salafrários do país (sim, tantas vezes coincidirão na mesma pessoa…) discutir os dilemas da condição humana enquanto se dão uns toques pelos dramas cor-de-rosa da atualidade. Falo, como já deverão estar a adivinhar, da discutida problemática se a Irina deu com os pés ao Ronaldo ou se este foi marcar orgásmicos golos para outra freguesia. Se tal sucedeu, tenho a comunicar ao universo rosa choc noticioso que compreendo na perfeição e que lamento profundamente. Compreendo que dois riquíssimos e famosíssimos jovens queiram experimentar tudo o que de melhor tem o mundo, depois de se terem experimentado mutuamente, uma vez que a sua conta bancária e os seus outros atributos naturalmente lhes abrem portas obviamente fechadas aos comuns mortais. Lamento imensamente porque a jovem Irina vale tanto como uma bola de ouro e para o nosso maior só queremos o melhor. Fica aqui um apelo ao Ronaldo para ter em atenção este meu lamento e o conselho para, se necessário for, manter uma relação de fachada, nem que seja só para que a 4ª bola de ouro brilhe ainda mais quando recebida de mão dada com a beldade russa. Uma atenção, Cristiano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 17:19





mais sobre mim

foto do autor




Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters



links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

pesquisar

Pesquisar no Blog