Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mensagem às hostes leoninas (Sporting 0 - Paços de Ferreira 1)

Sábado, 05.01.13

 

 

Hoje, depois de ter assistido pela televisão a um jogo em que os supostos adeptos do Sporting insistiram em assobiar a equipa sempre que ela precisou do seu apoio, era sobre isso que me apetecia escrever. Era sobre a triste diferença entre o público inglês que vai aos estádios para vibrar com a sua equipa, que retira prazer em cantar, gritar e sofrer pelas suas cores mesmo quando esta perde ou está no fundo da tabela (creio mesmo que é nestas situações que eles mais gritam) que me apetecia escrever. Pretendia também abordar as características de um povo, não só o leonino, que age como um abutre quando o seu país ou o seu clube deambula moribundo, parecendo que desde sempre esperou por esse momento para lhe desferir o golpe fatal. Cobardia? Falta de carácter? Sadismo revanchista e oportunista?

 

Era sobre isso que me apetecia escrever, sobre a tristeza de povo que tantas vezes somos. Godinho Lopes é uma perigosa e insana anedota? Sim, é inequívoco, agrupemo-nos então e organize-se um movimento em condições para correr com o homem, mas não se retire o apoio à base da nossa paixão. Freddy Vercauteren já provou que não é solução? Sem dúvida, há dezenas de treinadores portugueses melhores que ele (Jesualdo será um deles, Domingos que já brilha em Espanha outro), mas não abandonemos os jogadores à sua incompetência, entreguemos-lhes a nossa paixão em forma de gritos de apoio. Muitos dos rapazes parecem ter perdido o jeito e a garra? Talvez, mas enquanto forem eles a envergar as nossas cores dentro do campo o nosso amor ao Sporting (se for mesmo amor) obriga-nos a defendê-los e apoiá-los. Podemos criticá-los, exigir-lhes mais, mas não podemos virar-lhes as costas. Sejam leões e não abutres. Sejam homens nas horas difíceis.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:56

Rio Ave 3 - Sporting 0 (e a culpa sempre solteira)

Sábado, 29.12.12

 

 

Ponto prévio – provavelmente mesmo que o Eric Dier não tivesse sido expulso perderíamos o jogo, tal a falta de qualidade, de confiança e de ambição demonstrada pela equipa. Não obstante, é necessário perceber que uma falta como a que o Eric cometeu nunca daria expulsão se cometida por um jogador do Benfica e do Porto. Os árbitros e as instituições perderam-nos o respeito, pelo que de nada servirá recuperar o futebol do Sporting se o nosso estatuto continuar a ser desrespeitado por quem manda no futebol e nos árbitros.

 

Quanto ao jogo…meu Deus, que dizer? Que caso não existisse Patrício teríamos levado 6 ou 7, que o Ricardo Esgaio é uma óptima aposta que como outros jovens irá ser queimado na fogueira deste grupo desmembrado e sobre brasas, que é por termos comprado ao desbarato jogadores sem carácter como Elias (está infeliz porque não ganha títulos, e o que fez esse filho da mãe para ganhar títulos???) que chegámos aqui. E que passos deu esta direcção para resolver isto? Contratou um treinador para o treinador o que só tem a vantagem de diluir responsabilidades (vantagem para aqueles que deveriam ser escrutinados, claro está). Estes pulhas, estes betinhos impreparados deram cabo do clube. O resto é conversa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:15

Sporting 1 - Braga 0

Domingo, 11.11.12

 

 

Um grande clube sabe quais são os momentos em que não pode deixar de ser grande e de se superar. Os nossos jogadores encarnaram bem o seu papel, souberam honrar a camisola, sofrer até ao limite, souberam merecer a sorte. Patrício arrisca-se a bater o recorde de milagres de uma época, Wolfs afia as garras de confiança, Elias melhora com a insistência nele, Xandão supera-se com um pano a impedir-lhe o cérebro de divagar, Eric Dier sublinha o que deve ser o cerne do Sporting: jovens cheios de garra, personalidade e muita qualidade. Vercauteren está a saber mexer com a equipa anímica e tacticamente. Força Sporting, parabéns rapazes!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:25

V. Setúbal 2 - Sporting 1

Domingo, 04.11.12

 

 

Ponto prévio 1 – Considero esta Direcção do Sporting um fiasco, a sua estratégia um misto de patetice e desnorte, mas este continua a ser o meu clube.

Ponto prévio 2 – Até prova em contrário (do género de uma demonstração inequívoca de incompetência) Franky Vercauteren é o meu treinador e apoio-o, porque é ele que está à frente do meu Sporting.

 

Começou bem o Franky, melhorou um pouco a equipa, mas um conjunto de erros impediram-na de render o suficiente para ganhar. Vercauteren esteve bem no discurso pré-jogo, esteve ainda melhor no discurso pós jogo, falando da necessidade de melhorar e de acreditar, mas, sobretudo, realçando que há jogadores que o surpreenderam positivamente, outros que estiveram mal, dizendo mesmo que há jogadores no Sporting cuja falta de qualidade o desiludiu. Às vezes é preciso falar claro e não ter medo de pôr o dedo na ferida.

 

O que melhorou? Recuperámos 3 jogadores decisivos, que não tendo feito um jogo fantástico contribuíram decisivamente para a melhoria de qualidade do nosso futebol (Schaars, Insua e Izmailov). Descobrimos que o Jéffren afinal sabe – e muito – jogar à bola. Erros já conhecidos e deficiências que não há maneira de serem erradicadas? Uma dupla de centrais demasiado frágil (a saída de Onyewu foi um crime lesa futebol), Cédric é jeitoso a atacar mas confirma ser muito fraquinho a defender, Wolfswinkel parece cada vez mais desligado dos movimentos ofensivos e da eficácia no remate. Juntando a isto a falta de confiança, de concentração e em alguns casos de qualidade apontadas por Vercauteren, temos aqui um trabalho de Hércules para o belga. Estamos contigo e precisamos de ti, Franky, aperta com eles!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por bolaseletras às 22:52





mais sobre mim

foto do autor




Flag counter (desde 15-06-2010)

free counters



links

Best of the best - Imperdíveis

Bola, livres directos & foras de jogo

Favoritos - Segunda vaga

Cool, chique & trendy

Livros, letras & afins

Cinema, fitas & curtas

Radio & Grafonolas

Top disco do Miguelinho

Política, asfixias & liberdades

Justiça & Direito

Media, jornais & pasquins

Fora de portas, estrangeirices & resto do mundo

Mulheres, amor & sexo

Humor, sorrisos & gargalhadas

Tintos, brancos & verdes

Restaurantes, tascas & petiscos

Cartoons, BD e artes várias

Fotografia & olhares

Pais & Filhos


arquivos

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

pesquisar

Pesquisar no Blog